sábado, 16 de novembro de 2013

A delicadeza no Evangelho

Somos muito tímidos em coisas nas quais deveríamos ser tão corajosos!

Há duas situações bem conhecidas que geralmente nos imobilizam: pedir perdão e demonstrar perdão.  Às vezes isso pode ser um tanto constrangedor tanto para quem é perdoado como para quem perdoa.

Nessa curta reflexão queremos evidenciar uma situação na qual Jesus mostra uma forma delicada e simples de "quebrar o gelo" entre amigos:

"Agora vão e deem este recado a Pedro e aos outros discípulos: "Ele vai adiante de vocês para a Galileia. Lá vocês vão vê-lo, como ele mesmo disse."  Marcos 16:7

Jesus já havia sido preso, humilhado e abandonado. E Pedro já havia agido vergonhosamente, naquele episódio em que traiu Jesus. Também já havia caído em si e chorado baldes de lágrimas. Talvez tenha perdido a noite de sono perguntando a si mesmo como seria dali pra frente. Ele ainda poderia ser chamado de "amigo do Senhor?"  Será que os outros discípulos ficaram sabendo da sua "pisada de bola"? Ele fora reprovado no teste final, no teste principal! Haveria forma de se penitenciar?  E Jesus? Morrera com aquela mágoa, decepcionado com o amigo?

Em uma atitude simples e extremamente delicada  Jesus apenas mandou um recado sutil de uma forma que ele entenderia: "Digam a Pedro e aos outros que eu tenho um encontro com eles na Galiléia."  "A Pedro e aos outros..."  Primeiramente a Pedro, o mais aflito e envergonhado dos discípulos. Como devem ter sido doces essas palavras ao seu ouvido! No recado ele foi destacado com tanto carinho! Jesus não precisou expor Pedro explicando aos discípulos o que acontecera. Não esticou a história, não "desenterrou defunto". Em poucas palavras conseguiu dizer tudo: eu te perdoei! Sigamos em frente! Temos um longo caminho juntos!

É maravilhoso quando recebemos esses recados de Jesus pra nós. Às vezes ele nos diz coisas sutis e muito intimas que só nós mesmo entendemos. Foi assim com Natanael também: "eu te vi quando você estava debaixo da figueira". Há uma linda explicação para essa passagem bíblica que não vou descrever agora mas também nesse episódio Jesus disse, na frente de todo mundo, coisas secretas do coração de Natanael. E ele faz assim com cada um de nós, basta que prestemos atenção.

Ao final desse texto sinto-me impelida a incentivar os leitores a fazerem, por seus amigos, o mesmo: ao perdoar nem sempre é necessário um sermão, um "eu não esperava isso de você!"  Nem sempre é necessária uma lição de moral. Nem sempre é necessário que os outros amigos fiquem sabendo. É possível demonstrar delicadamente que tudo aquilo ficou pra trás e o caminho à frente é o que importa. Um gesto, um convite, um sorriso em particular, podem quebrar todo o gelo. Vamos tentar?

Cristina

Um comentário:

qi150 disse...

As vezes basta um olhar, para dizermos: me perdoa, ou estás perdoado. "O essencial é invisível aos olhos", porque "só vê bem com o coração". (Exupéry). Nele que só nos vê assim.