sexta-feira, 27 de maio de 2011

Ovelhas sem pastor


 "E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor." Mateus 9:36


Jesus olhou aquele povo agoniado e cansado buscando-o com expectativa. Uma exectativa indefinida, vaga. Jesus olhou para eles e não viu o seu rebanho, mas viu pessoas sofridas e sem vínculos, como ovelhas sem pastor. E no entanto estavam diante do Sumo Pastor. Que contradição!  Estavam tão pertinho de Jesus e ainda assim eram dignas de pena.

Por quê? Porque não julgavam ter encontrado o que procuravam. Seus olhos ainda vagavam diante da possibilidade de serem capturados por outro movimento ou profeta ou "mover". Jesus não era definitivo, mas "a bola da vez".  Estavam curtindo, desfrutando e experimentando Jesus. Era um test drive, não uma opção de vida. Pobres ovelhas...


Pobre daquele que, diante da Luz, ainda vive a lançar olhares perdidos no horizonte em busca de "algo".

Muitos líderes evangélicos ficariam aborrecidos com essas ovelhas que vão e que vêm sem entender que fazem parte de um aprisco e que não há mais o que buscar. Alguns líderes se irritam, outros desanimam, outros ficam apenas confusos. Jesus não. Jesus sentiu dó, muito dó.

Nada mais triste do que ver gente eternamente procurando... o quê? Nem elas sabem direito. Não se fixam, não criam vínculos, não se organizam para o bem, para uma obra. Apenas vagam.

O que pode haver de mais triste do que ovelhas carentes e dispersas em eterna procura, mesmo estando frente a frente com o Bom Pastor? Por quê não reconhecem "a plenitude dos tempos" em suas vidas?


"O Reino de Deus não vem com visível aparência; ele está dentro, em vós."

... e se não estiver dentro em vós, não estará em nenhum outro lugar.


Cristina Faraon

Nenhum comentário: