domingo, 12 de abril de 2009

Matrix - Revisitando um clássico


Faz tempo que já virou clássico. Se você não assistiu é porque pertence a outro planeta.

Matrix foi um dos filmes mais interessantes que já vi. As continuações são perfeitamente dispensáveis. Pra mim, brilhante mesmo só Matrix I.

Você já deve ter lido e ouvido todo tipo de comentário a respeito mas não resisto e quero dar também meus pitacos.


As pessoas geralmente são tão tolas em seus guetos que é só trocar as palavras que aceitam as mesmas coisas em que cuspiam. São como crianças! Feijão com arroz? NÃAAAAO! Aí a mãe amassa o feijão junto com o arroz, faz um bolinho e diz que é um "capitão"; aí a criança come que é uma beleza. Nunca aconteceu com você? Pois Matrix é o Evangelho em linguagem de "capitão" para fazer criança tola comer a comidinha.


Explicando: para fazer aqueles que sentem o corpo pipocar só de ouvir falar em Jesus, finalmente pararem um pouquinho e prestarem atenção no recado dele.


Pois Matrix explica tudo direitinho numa linguagem que qualquer preconcei - digo - qualquer pessoa pode assimilar.

Confesso que achei divertidíssimo ver pessoas que nem pisam no quarteirão onde existe uma igreja terem entrado no cinema e ouvido a mesmíssima mensagem de Jesus e ainda pagarem por isso. Um barato!

MATRIX I é uma parábola moderna do Evangelho. Se a Bíblia fosse escrita hoje claro que Jesus não ia falar em dracma ou ovelhas mas em vírus, bytes e coisas assim. Se você assistiu, continue a leitura. Se não, nem adianta. Vá à locadora, assista e depois venha aqui ler o resto desta postagem.

Agora vejamos as etapas desse filme:

A REVELAÇÃO

Jesus disse que "quando vocês conhecerem a verdade, vocês deixarão de ser escravos". Pois é, a história começa justamente aí, quando é mostrado a Neo que todos são escravos, estão sendo sugados, que o mundo como se vê não passa de uma ilusão. Claro que ele não acha nada divertido ouvir isso. Ninguém gosta. Ele fica irado com o cara (Morpheo) que tenta lhe passar isso. Tipo: "tá, você é o iluminado e todos nós somos idiotas?" É momentaneamente inútil explicar que existem milhões que também descobriram a verdade, só que a maioria ainda prefere a ilusão.

TEM SEMPRE UM MALA

É como eu disse: Neo vivia razoavelmente bem. Sempre achou que havia algo de errado no mundo e sentia um vazio dentro de si. A vida não tinha sentido mas... mas era assim com todos os seus amigos também então fazer o quê?

Pois é, o tal do Morpheo azucrina Neo dizendo coisas que ele não está nem um pingo interessado em ouvir. Isso remete justamente aos malas (evangelistas, missionários, pregadores...) que ficam no teu pé falando que Jesus é a verdade, o Salvador, que a Bíblia mostra o caminho da salvação, que existe uma outra vida etc. Quem quer saber disso? Todo mundo não quer mais é ir pro bar beber, cair, levantar? Neo queria mais era que aquele cara morresse!!! Só que a verdade é contundente. Depois de relutar finalmente "cai a ficha" e Neo não pode negar os fatos.

A TRANSFORMAÇÃO

Acontece que ninguém que acredite que uma casa está pegando fogo continua dentro dela. Acreditar em certas coisas gera uma mudança drástica de comportamento, de visão de mundo, de foco. Em português bem claro o lance nada mais é do que sacar o que está acontecendo e nao conseguir se fazer de morto. Alguns chamam isso de conversão.


LIBERDADE DE ESCOLHA

Apenas a ponta do iceberg é revelada mas fica claro que se ele realmente quiser se envolver com a verdade a sua vida nunca mais será a mesma mas... mas ela passaria a ter um sentido! Se ele não quisesse, o assunto morreria ali mesmo. Nada mais saberia, poderia ir embora para viver sua vidinha de ameba iludida. As interrogações continuariam a incomodar, bem como sua vida continuaria sem sentido algum. Ele deve escolher.

A ESCOLHA

Ele escolhe o conhecimento mesmo sob a tentação de continuar vivendo o conforto da ilusão, como toda a raça humana. A ilusão é mais confortável, mas leva à morte. A verdade é inquietante, mas é a única vida verdadeira e a única liberdade possível.

A LOUCURA

A princípio a verdade lhe parece completamente absurda – com toda a razão. Interessante é que a Bíblia diz que "o Evangelho é loucura para as pessoas que estão se perdendo mas para as que estão se salvando significa poder de Deus. "

Em diversas passagens a Bíblia admite que a sua mensagem é mesmo muito louca e não é todo mundo que encara. Por isso Jesus não perdia tempo tentando convencer ninguem de nada: porque não adiantaria. Ou o cara se joga de cabeça e saca depois ou fica rondando desconfiado e vai embora, cego. Igualzinho em Matrix.

Tudo parece fantasioso demais para Neo. Ele passa dias "em parafuso". Depois, no entanto, ele passa a entender de tal forma que conclui que tudo aquilo em que ele acreditada até então é que era ridículo. Descobre que por toda a sua vida esteve em um mundo irreal, completamente cego e que só agora, pela primeira vez na vida, sacou alguma coisa.

O PROBLEMA

Como dizer isso aos seus amigos sem parecer louco ou arrogante? Pior: como ficar calado e deixar seus amigos no escuro?


NEM CARNE NEM SANGUE

("Nossa luta não é contra carne ou sangue...mas contra os dominadores deste mundo tenebroso...")

Em Matrix fica muitíssimo claro que ninguém ali está lutando contra seres humanos. Luta-se contra forças não humanas e dificílimas. Se Neo e seus amigos tentarem usar forças humanas, não duram nem uma hora. O jogo é outro! Eles estão dentro de um sofisticadíssimo programa de computador. A Bíblia fala, em outras palavras, a mesmíssima coisa! Essa é a sacada.

Ela nos adverte para em momento algum nos deixarmos confundir pelos nossos olhos. Aquela pessoa que está na nossa frente é humana mas pode haver algo muito complexo por trás de uma simples ofensa, por trás de uma simples cantada, de um assalto, de uma insinuação. "a luta de vocês não é contra seres humanos! Cuidado!" Se formos lutar contra as pessoas nós fracassaremos. Se formos odiar as pessoas, boicotá-las, será nosso fim. Muitas delas estão apenas sendo manipuladas. Estão apenas infectadas. Não são nossas inimigas. Podem eventualmente nos prejudicar pois são facilmente manipulados pelo inimigo justamente pela total alienação em que se encontram. Mas claro: nos odiarão se dissermos isso a elas. Deveremos ter a paciência que Morpheus teve com Neo - e nem sempre seremos igualmente bem sucedidos.

Fora isso, o inimigo não humano frequentemente age sem precisar dos humanos. Nem sempre precisa deles, só eventualmente. De qualquer modo, estamos em guerra.

A MISSÃO

O personagem principal não consegue entender a sua importância dentro de todo o contexto apresentado. Não sabe o que pode fazer a respeito. Ao mesmo tempo entende que não pode ficar parado, impassível diante de tantas pessoas sendo enganadas, mortas, exploradas pelo inimigo.

Mas quem é o inimigo? No filme (assim como na nossa realidade) ele não pode ser visto. Só é percebido, e pelos que conhecem a verdade.

Interessante: Os que conhecem a verdade e querem libertar as pessoas, são tratados como vírus em um programa de computador. Os inimigos (o equivalente aos demônios mencionados na Bíblia) são os anti-virus. Eles perseguem implacavelmente Neo e seus amigos.


AS ARMAS

Neo e seus companheiros humanos não tem a menor possibilidade de lutar contra inimigos não humanos. Ele precisa o tempo todo receber orientação dos seus amigos que estão no mundo real e tem uma visão mais ampla do que está acontecendo. Para isso ele foi orientado: em qualquer lugar onde ele estiver, sempre terá acesso a algum telefone: orelhão ou celular. Assim receberá instruções para lutar e salvar sua vida. É imprescindível a comunicação com seu orientador.

Aí está outra metáfora interessantíssima. A Bíblia diz a mesma coisa. Nós, que estamos dentro do jogo, não temos uma visão ampla do que está acontecendo. Estamos em plenos vídeo game. Precisamos estar conectados com Deus em celular - digo - em oração, para receber orientações para a nossa vida. Isso pode ser feito em qualquer lugar. Não existe forma de o inimigo nos impedir de entrar em contato com nosso Orientador.

No filme algumas orientações recebidas parecem absurdas na hora. Dá medo de seguir, mas é absolutamente necessário confiar. Qualquer ordem superior recebida, por mais absurda que possa parecer, deve ser seguida a risca se Neo quiser escapar. Nem sempre há tempo de explicar uma ordem... As vezes é dito "pule do prédio". Não dá tempo de dizer que vai passar por ali um caminhão transportando colchões, por exemplo. Fé é tudo. Quem não tem fé nem se meta! Com Deus é assim. O cara é desclassificado logo de cara. Em linguagem bíblica está escrito que "quem lança a mão no arado e olha para trás, não é apto para o Reino".

Tradução: "Quem pega no volante mas fica amarelando, tem mais é que ir catar coquinho."

OS OLHOS MENTEM

A força – O grande ensinamento que Neo recebe é de que o segredo de sua força reside em ele jamais acreditar no que os seus olhos vêem, pois tudo ao seu redor é ilusão. Parece mágica, tudo parece mágica: ele se lançar de um prédio, parar um trem... Não é mágica! Ele apenas entendeu que aquilo é apenas um programa de computador. Se fosse real, ele morreria, obviamente. E a jogada é: se em algum momento ele se deixar enganar pelos sentidos e acreditar que é real, ele se ferra.

Parece fácil, mas não é. Quem já foi a um parque e entrou nesses brinquedos de realidade virtual sabe que é assustador.

Se ele acreditar que um projétil é real, o projétil o atingirá; mas se ele estiver firme e convicto de que aquilo é apenas ilusão criada pelo inimigo, ele será indestrutível.

Da mesma forma se dá os cristãos - eis o paralelo. Ou Neo coloca essa fé em prática, ou vai morrer. Ou seja: o inimigo só mata se a gente realmente acreditar nessa possibilidade. A palavra de ordem aqui é fé na Verdade (Jesus é a Verdade que liberta, lembra?).

São infinitos os meios que o inimigo usa para impressionar Neo... Quanto mais ele acreditar no sistema maligno, no mundo ao seu redor, mais vulnerável se tornará. Aqui a gente pode falar em macumba, mal-olhado, maldição, azar, duendes, olho gordo... e por aí vai.

Toda a estratégia do inimigo é no sentido de impressioná-lo, fazê-lo crer que é fraco, que está perdido. A sua força consiste em acreditar na verdade, andar de acordo com ela, não se deixar enganar pelos sentidos. É necessário um longo treinamento...

Se ele tem a fé firme de que aquilo não é real, ele parece se revestir de poderes “incríveis” aos olhos comuns. Só que Neo sabe que nenhum milagre está acontecendo, ele não é um super-herói: é apenas um homem comum que conhece a verdade.

Aqui está a chave do filme: quem não consegue entender isso - que aquelas peripécias só são possíveis porque estão acontecendo no mundo virtual, acaba achando o filme um amontoado de mentiras tolas, histórias de super-homem, mas não é nada disso.

Bem, depois de escrever tão empolgadamente a respeito, acho que vou rever o filme. Aconselho você a fazer o mesmo, agora com outros olhos.
Cristina Faraon

Nenhum comentário: