sábado, 28 de fevereiro de 2009

Quem deve vir para o Caminho da Graça?



Texo do Pastor Caio Fábio - RESUMO.

"Há muita "igreja Evangélica" disponível e para todos os gostos. Não temos tempo a perder com gente que deseja "Reformar o Sinédrio Evangélico" e pensa que esta é nossa intenção. Não é.

Tenho dito que é mais fácil haver uma "reforma na igreja católica", em razão de sua centralização do que entre os evangélicos", que são como uma Hídra de muitas cabeças.
Por esta razão, a esses (que pensam em reforma) eu digo: "Amigos! Obrigado pela sua ajuda, mas eu passo..."

Além disso, quando iniciei com alguns amigos o "Caminho da Graça", não foi como "alternativa" aos "evangélicos". Na realidade não foi e não é. Jamais faria ou começaria algo "alternativo". Não conheço "Evangelho Alternativo" mas tão somente o Evangelho Único e Absoluto.

Portanto, quem não crê conforme tenho deixado claro que cremos, não venha (é simples assim...); pois não há como tal pessoa possa nos ajudar e nem nós a ela; visto que ela mesma não se ajuda e chega viciada naquilo que entre nós já está morto e sepultado em Cristo.

Sinto-me ridículo se tiver que convencer "evangelicos" acerca do Evangelho depois de haver pregado a eles por décadas! O que eu tinha a dizer aos "evangélicos", eu sei que já disse!

O "Caminho da Graça" é para gente do Caminho de Jesus e que está buscando de modo social e comunitário aquilo que já crê de modo individual e existencial. Desse modo, o "Caminho da Graça" não é para gente que precisa ser "convencida" de que aqui é o seu lugar. São estas as razões pelas quais eu peço para lerem o site; pois o que cremos está lá explicitado com a clareza da luz!

Também tenho a dizer que o Caminho da Graça não é lugar para quem busca moda. "Moda" é coisa de "evangélico" os quais, à semelhança dos atenienses, de nada mais cuidam senão de "saber das últimas novidades". O "Caminho da Graça" não tem nada novo, mas tão somente o antigo-novo mandamento ensinado por Jesus.

Aqui quero dar uma ilustração de como "modismos evangélicos" podem ser perniciosos; e, em tal caso, nem sempre a culpa é dos pastores; mas sim de um povo "sem pastor" e que se acostumou a viver como borboletas que não sugam nectar, mas tão somente críticas e amarguras.

Tomemos a cidade de São Paulo como exemplo desse afã modista-evangélico. Logo após de ter crido em Jesus, uns quatro anos depois disso, a "igreja da moda" em Sampa era a do Tio Cássio. Depois veio a "Comunidade da Graça". Depois veio a "Batista do Morumbi". Depois veio a Adohnep. Depois a Renascer. Depois pequenas "universais-renascer". Depois o "Conselho de Pastores". Depois vieram a "Batista da Água Branca" e a "Betesda". E assim vai... Ora, com excessão da Renascer e seus filhotes-anões-clonados (afinal o "apóstolo" me disse, em 92, que estava abrindo uma franquia como a do Mac'Donalds, onde até a "batatinha" tem que ter o mesmo corte...) —; os demais líderes dos grupos acima mencionados, nada fizeram para buscar "ser a igreja da moda"; tendo apenas sido objeto da curiosidade evangélica em geral; e que em São Paulo tem essa característica exacerbada.

E fico vendo o pessoal ir e vir... se embalando na falta de raiz e de convicção.

Esse povo borboleteante andam sempre em círculos. Sofrem sempre das mesmas questões. Para esses, se lhes oferecemos algo simples, lhes parece tão inacreditável que eles têm que já chegar duvidando.

O site não é o Evangelho do "Caminho da Graça". O Evangelho é Jesus. Todavia, se alguém quer estar sob meu pastoreio aqui na Terra, então, saiba: o site www.caiofabio.com é conforme nosso entendimento explicitado acerca do conteúdo do Evangelho.

Nosso público são aqueles que, pela leitura do site, se identificaram com o que ensinamos acerca de Jesus; ou então é para aqueles que já se cansaram de tanta tolice religiosa. Ou ainda é para aqueles que nada sabem de coisa alguma, mas que anseiam pelo Evangelho. Esses últimos são ideais, pois chegam apenas para crescer na Graça; e sem os vícios de doenças de "crentes amargos".

O Caminho é Estreito; e no "Caminho da Graça" amamos essa estreiteza. Sim, porque nele e por causa dele, não se entra a menos que se tenha deixado a bagagem toda para trás: toda justiça-própria... e toda certeza de juízo contra o próximo.

Nele, em Quem não havia brincadeira, mas apenas decisões de vida ou morte.

Caio"

Nenhum comentário: