quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Homem de Barro - texto de Giordano Assunção

"Eu queria que os meus desejos fossem somente para Deus... "Miserável homem que sou", já dizia Paulo. "Quem me livrará do corpo desta morte? O bem que quero fazer, não faço. O mal que não quero fazer, é isso o que faço". Faço como se não fosse dono de mim mesmo.
Talvez eu realmente não seja...
(Leia mais. Clique aqui)

Nenhum comentário: