segunda-feira, 26 de maio de 2008

NÓS EM CRISTO & CRISTO EM NÓS - tema do encontro de domingo, dia 25/05

Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo...
... E, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus." (Efésios 1:3 e 2:6)
NÓS EM CRISTO & CRISTO EM NÓS

Estes são dois mistérios espirituais que definem toda a nossa vida como cristãos e nossa situaçao espiritual. Podemos crer neles, falar a respeito e nos alegrarmos por eles, mas jamais conseguiremos entende-los completamente.

O que podemos dizer dois mistérios?

1) NÓS EM CRISTO:

Fala de coisas espirituais que não podemos perceber. Elas são para serem cridas e eternamente celebradas. Jesus conquistou com sua morte e ressurreição bênçãos espirituais inimagináveis:

Nós estamos em e com Cristo, assentados nos lugares celestiais!
Fomos ressuscitados com Cristo!
Estamos irretratavelmente salvos!
Fomos tirados do império das trevas e transportados para o Reino de Cristo!
Todo o escrito de dívidas que pesava contra nós foi rasgado;
O diabo não tem poder sobre nós! Ele foi humilhado na cruz. Jesus tem em suas mãos as chaves da morte e do Inferno.

Nada disso é visível. Eu, particularmente, não me vi em momento algum fazendo uma viagem astral de um reino para outro, não presenciei meu nome ser escrito no Livro da Vida etc - mas tudo isso é verde e essas verdades fazem TODA a diferença na minha vida.


2) CRISTO EM NÓS:

Fala dos resultados do nosso novo estado. “Cristo em Nós” resulta em coisas perfeitamente perceptíveis, pois essa presença santa modifica profundamente a maneira como passamos a perceber o mundo e isso altera radicalmente a nossa vida.

Quando Cristo faz morada em nós, o que acontece perceptivelmente?

Primeiro - CONFLITO: O Espírito de Deus passa a viver em nós. Isso quer dizer que em minha natureza carnal foi plantada uma nova natureza, uma natureza divina. Isso é maravilhoso mas... Essa nova natureza me leva a ter novas inclinações, novas necessidades e desejos, coisas que sempre se chocam com minha velha natureza que não foi abolida. Meu espírito, regenerado, clama e clama por coisas excelentes, coisas espirituais, elevadas; clama por fazer a vontade de Deus, por se desligar desse mundo, por ser logo transformada, absorvida pela vida.

O nome disso é CONFLITO. Sim, Cristo em nós resulta em uma guerra atroz entre minha natureza carnal e minha natureza espiritual.

Eu, que era guiada pelos meus próprios desejos e pelas exigências do mundo, agora quero contemplar a Deus, adora-lo, mergulhar nele, louva-lo, quero estar com meus irmãos espirituais, quero me alegrar com eles, quero pregar o Evangelho, quero dizer pra todo mundo que Jesus é maravilhoso, que Deus é amor...! Estranhamente quero ser santa, quero ser perfeita... Em resumo: meu espírito quer o que Deus quer. Só que minha carne “vendida á escravidão do pecado” esperneia contra isso e quer exatamente o contrário do que meu espírito quer.

Alguém pode perguntar quem poderia ser feliz no meio de uma linha de fogo dessas. Eu, com minha dupla natureza, respondo com outra pergunta: como alguém pode pretender ser feliz como escravo do pecado? sendo levado na vida como a palha que o vento dispersa, com medo da morte, vulnerável aos ataques do diabo e sem a doce experiência da comunhão com Deus? Pode ser chamada de “vida” uma existência na qual o sujeito desconhece por completo o significado da expressão “gozo espiritual”?

Segundo - ESPERANÇA: CRISTO EM NÓS não representa apenas conflito, mas complementarmente a isso significa que fomos tomados por uma robusta ESPERANÇA que nos alimenta e nos dá nao apenas consolo mas exultação. Cristo em vós - a esperança da glória! (Colossensses 1:27)

O que nos dá força para continuarmos lutando contra o pecado?
A esperança da glória!
O que nos faz aceitamos ser participantes dos sofrimentos de Cristo?
A esperança da glória!
Por que não desistimos?
A esperança da glória!
Por que celebramos ao mesmo tempo em que andamos e choramos?
A esperança da glória!
Por que nos desgastamos pregando o Evangelho?
A esperança da glória!
Por que a morte não nos parece de forma alguma assustadora?
A esperança da glória!


“Para mim tenho por certo que as aflições desse tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada” Romanos 8:18
Cristina Faraon

Nenhum comentário: