domingo, 19 de agosto de 2007

Encontro de 19 de agosto de 2007


"... Nele, diante de Quem vivem seres que têm olhos para fora e para dentro."

Impressionou-me o encerramento desta carta do Pr. Caio a uma das muitas pessoas que lhe escrevem diariamente. Reli essa última frase. Pensei nela. E ela ficou em mim.

Foram mencionados seres cheios de olhos porque, no texto, o Pr. Caio desafia a pessoa que lhe escreveu a olhar com denodo para dentro de si mesma, pois talvez a chave da questão estivesse ali.

É possível ao homem olhar para dentro de si com clareza e ver quem é, de fato?

Impressionou-me entender que, na presença de Deus, somos totalmente percebidos por Ele - e não só isso: quanto mais Ele se revela a nós, maior a possibilidade de nos enxergarmos, como se olhos fossem abertos dentro de nós, para nós, pelo Espírito.

O Espírito revela as profundezas de Deus. Quanto mais as profundezas dos homens!

Conversamos sobre isso hoje a noite. Foram lidos dois textos bíblicos um tanto "estranhos": parte do primeiro capítulo do livro do profeta Ezequiel e Apocalipse 4:6-9.

Longe de querer "desvendar" os mistérios todos dos símbolos descritos nesses textos, achamos por bem ir por um caminho mais simples. Após a leitura e durante a explanação pudemos constatar algumas coisas interessante:

1- Deus revela a si mesmo;

2- Deus revela mistérios espirituais;

3- Ao mesmo tempo que "revela a partir de enigmas" Ele nos faz perceber que aquilo é apenas a ponta do ice berg, que existe um universo de conhecimentos que nós não podemos alcançar por nós mesmos. Nada sabemos.

4- O universo cheio de mistério não é apenas o universo exterior - assim entendendo tudo o que está fora de nós. Nosso universo interior é também de dificílimo acesso até para nós mesmos. Assim como se Ele não se revelar para nós, jamais O encontraremos; da mesma forma se Ele não nos apresentar a nós mesmos, jamais nos perceberemos - "Porque tu acenderás a minha candeia; o SENHOR meu Deus iluminará as minhas trevas." Sl. 18:28.

Olhos por todos os lados, em todas as direções. Olhos para dentro... Visão total.

Essa "visão total" não é apenas para fora, mas também para dentro.

5- A visão de Ezequiel pode nos parecer bem esquisita, mas aponta para verdades inefáveis. Em seus símbolos nos falam de uma realidade maravilhosa.

6- Da mesma forma a relevação de Deus sobre nós mesmos não poderá nos parecer igualmente estranha, pelo menos a princípio? Se Ele transformasse em símbolo as nossas reais motivações, nossas fixações, amarguras, taras, medos... será que tudo não poderia ser expresso na figura de um ser vivente grotesco talvez?

7- É impossível uma conversão genuína sem um encontro com Cristo. E é impossível que um encontro com Cristo não produza em nós um encontro conosco mesmos, com as nossas verdades mais inquietantes.

"E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar." Hebreus 4:13

Só que esse perscrutar não é algo que inicie e encerre em um momento. Nossos olhos são abertos para Deus e para nós mesmos em revelações diárias, cada vez mais profundas, algumas vezes empolgantes, outras vezes talvez estranhas.

E que pelo Espírito seja sempre assim em nossa vida.

Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. 1 Coríntios 11:28

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. Salmos 139:23

Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. 1 Coríntios 11:31

Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos... I Co 13:5


Cristina Faraon

Nenhum comentário: