quinta-feira, 21 de junho de 2007

Domingo, 17/06

"Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!" I Co. 9:16

Tenho certeza de que o plano de Deus para a nossa vida nao consiste no cumprimeto de uma obrigação penosa e contrária às nossas emoções e sentimentos.

O Apóstolo, nesse trecho, não estava se lamentando por viver acorrentado a Deus e a algum tipo de maldição caso não cumprisse o IDE de Jesus. O que me parece que Paulo disse foi: "não posso me conter! Se eu não falar disso que está em meu coração, desse Jesus maravilhoso que me reconciliou com Deus... Se eu não falar acho que vou explodir! Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho!"

O que está no coração do Pai, antes de tudo, não é que nos esforcemos para pregar o Evangelho. Não acredito que ele deseje que vivamos envolvidos em esquemas e infindáveis "planos de evangelização. " Creio que Deus não deseja que "tenhamos que pregar"; ele quer mesmo é que simplesmente não consigamos ficar calados. Note que são duas coisas muito diferentes!

Esse "não se conter" é obra do Espírito Santo em nossa vida. Ele quer gerar isso em nós. Ele, só ele. Não é resultado de programações de igreja, na qual desfila-se uma lista de estatísticas mostrando quantos estão indo para o inferno por nossa culpa. A motivação verdadeira é uma vida com Deus, é amor, é poder do Espírito. Qualquer outra forma de constrangimento que não seja a chama do amor, passa a ser doentio, nocivo para a alma.

Um número significativo de evangélicos hoje vive angustiado debaixo da obrigação de evangelizar. Isso para muitos tornou-se um peso, um medo, uma espécie de pedra no sapato para a qual ainda não inventaram uma boa teologia como antídoto. Lembro-me de um hino angustiado que ouvi muito enquanto era criança e me fazia mal:

"Posso tendo as mãos vazias
Com Jesus me encontrar?
Nada fiz e vão-se os dias
De com Cristo me encontrar...
Quantas almas poderia
Ao Senhor apresentar!"

Acho que o que precisamos buscar é paixão. Pedir que Deus acenda em nosso peito esse fogo, esse amor que não sossega, que não consegue estar calado, que não pode deixar de orar, de falar, de acolher. Mais ainda do que pregar, o que Jesus quer mesmo é que você simplesmente não consiga ficar calado; que o testemulho esteja na sua vida, no seu sangue, nas suas veias.

Quem vive assim não precisa de planos de evangelismo, não precisa de programação infalível, não precisa ficar lutando em um momento de pretensa oportunidade: "falo ou não falo? Ai meu Deus! faz tempo que não evangelizo! Eu deveria aproveitar essa oportunidade. Como abordar? Como parecer simpático? Por onde eu começo?"

Que o Pai gere isso em nós!

Cristina Faraon

Nenhum comentário: