sexta-feira, 4 de maio de 2007

Reunião de 03 de maio


Somos limitados pela imagem que fazemos de nós mesmos? Somos limitados pela imagem que os outros fazem a nosso respeito? E Deus, como nos vê? Somos seres contraditório? Essas contradições nos limitam de alguma forma? Ou fazem com que nos sintamos confusos a respeito de quem somos?

Quinta feira em nosso encontro conversamos sobre um homem que parecia não ter problema algum com relação a isso. Um homem com dons aparentemente contraditórios e incompatíveis entre si. A uma primeira vista poderíamos até achar que esses dons jamais poderiam ser exercidos por uma mesma pessoa.

Como somos limitados em nossos pensamentos!

O que você diria a um guerreiro que lhe confidenciasse possuir pretensões como músico e poeta? Talvez você se indagasse que tipo de música ou poesia um "bruto" como aquele poderia produzir.

E se um homem sensível, educado, poeta, dissesse para você que se sentia perfeitamente apto e disposto a sair à guerra, ou envolver-se em campeonatos de luta livre por exemplo? Você riria? Diria que ele estava delirando? Sentiria pena do "pobre homem"?

O rei Davi era assim: um guerreiro acostumado a vitórias, alguém que saida a frente de exércitos e lutava. O mesmo rei Davi tocava instrumentos de cordas, compunha poesias, músicas e era extremamente voltado para as coisas expirituais.

Estou certa de que ele não se preocupava em como seus inimigos o veriam sob o rótulo de homem sensível e afeiçoado às artes. Ele sabia que estereótipo não vence batalhas.

Por outro lado ele não se importava com a possibilidade de que suas composições pudessem ser desprezadas por terem vindo de um homem "grosseiro" capaz de cortar a cabeça de alguém como Golias.

Tudo tem seu tempo. A vida nos possibilita momentos específicos para que nos expressemos de todas as formas possíveis dentro do que temos recebido de Deus. Isso é maravilhoso!

Davi não possuia dupla personalidade. Ele era apenas alguém que acreditava que não existia choque entre os dons que Deus lhe deu. Davi por diversas vezes abriu seu coração escrevendo, mas em nenhum momento observamos que estivesse aflito pelo "extremos de suas atividades" ou extremos de sua personalidade. Enquanto guerreiro ele não se sentia desqualificado para exercer sua sensibilidade. Mesmo músico, ele não se sentia desqualificado para batalha alguma!

Em Deus nossos polos se encontram. Em Deus nossas aparentes contradições se harmonizam e tudo encontra paz. Quem sabe quem somos de fato a não ser o Pai, que nos criou? Nem nós mesmos nos conhecemos o suficiente! Por que às vezes nos deixamos limitar pelos rótulos que outros colocam em nós? Por que aceitamos esses rótulos? Por que acreditamos neles? Você precisa deles?

Somos seres maravilhosamente complexos. Caminhando com o Senhor é que aprendemos a conviver com isso. Cristo nos leva mansamente às águas de descanso porque ele é o Bom Pastor. Sendo assim, descanse. Sendo assim, aceite-se. Você é livre para ser quem de fato é.

CRISTO - HARMONIA EM NÓS!

Caminhando com o Senhor somos estimulados a retornar ao "projeto original" idealizado pelo Pai para nós. Creia: segundo o "projeto original" você pode, em Cristo, muito mais do que pensa que pode.

Cristo harmoniza o poeta com o guerreiro, juventude com sabedoria, intrepidez com submissão, força com delicadeza, firmeza com ponderação... Ele é a nossa PAZ.
Cristina Faraon

Nenhum comentário: