sexta-feira, 27 de abril de 2007

Reunião de 26 de abril

Nessa quinta feira estivemos refletindo sobre um alguns episódios da vida de Ana, mãe do profeta Samuel. Entre tudo o que foi exposto com base no primeiro capítulo de I Samuel, nesse momento queremos destacar o seguinte trecho:

"Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos?" (I Samuel 1:8)

Ressaltamos o fato de que há clamores em nossa alma que nem mesmo as pessoas mais íntimas conseguem entender.

Aparentemente Ana tinha tudo. Tinha um lar, era amada pelo marido e nada lhe faltava exceto um filho. Ninguém possui tudo nessa vida. Elcana acreditava que sua dedicação a Ana era suficiente para lhe suprir a falta de filhos. Ele estava certo disso quando perguntou "Não te sou eu melhor do que dez filhos?"

Não sabemos se Ana teve coragem de responder a essa pergunta ou se apenas calou, desanimada, ao constatar que apesar de todo o seu amor ele não conseguia enxergar o tamanho da tristeza de sua alma. Talvez Elcana apenas não conseguisse entender. Talvez Ana apenas não conseguisse explicar. Mas como está escrito no livro de Daniel, temos um Deus nos céus que revela os mistérios; não só os mistérios do futuro, do final dos tempos. Deus também sonda e entende com toda a clareza os mistérios da nossa alma, de nossos sentimentos. Muitos desses sentimentos são incompreensíveis até para os seus próprios portadores. Mas Ele vê - o Deus de Hagar vê!

Ainda que não consigamos verbalizar tudo o que sentimos temos um Senhor que nos ama, nos sonda e estende sua mão para nós. Depois de ter sido compreendida por Deus, depois que o Espírito de Deus colocou paz em seu coração, tudo mudou. O seu próprio semblante não era mais o mesmo. Isso é uma obra de Deus em nós. É o Espírito Santo que possibilita que nós, ao nos levantarmos de nossa oração, possamos nos sentir com outra disposição, outra perspectiva do problema. Tudo se faz novo quando sentimos que fomos entendidos.

Não nos amarguremos com as pessoas quando elas parecem não nos entender. Por que nos desapontar com os irmãos? Por que acusá-los de falta de amor? Elcana amava Ana mas não conseguia compreender porque ela não era feliz. Não cobremos dos homens aquilo que eles não tem para nos dar. É aos pés do Senhor que encontraremos toda a compreensão e aceitação de que precisamos.

Cristina Faraon

Nenhum comentário: